Após perder eleição, Eduardo Braga demite funcionários e não paga direitos trabalhistas


Manaus – Depois de ter sido derrotado na tentativa de se eleger governador do Amazonas, Eduardo Braga (PMDB), é acusado de demitir de forma ilegal metade de sua equipe de mídias sociais, segundo um dos funcionários, eles não foram pagos até o presente momento, tendo em vista três meses após o fim da eleição.

De acordo com um dos integrantes da equipe, o Senador Eduardo Braga financiava há quase três anos uma equipe chamada “Comunix”, os funcionários demitidos eram responsáveis por fazer a reconstrução de sua imagem, os outros que não foram demitidos eram responsáveis pela devastação da imagens de opositores.

Os funcionários alegam que foram demitidos no dia 30 de agosto, logo após Amazonino Mendes, do PDT, ser eleito governador do Amazonas. Ele venceu Eduardo Braga (PMDB) no segundo turno, em eleição convocada após a cassação de José Melo (PROS).

O coordenador da Comunix, Wagner Cunha, pediu recentemente para os funcionários entrarem na justiça. Ao saberem da notícia, os ex-funcionários ficaram inconformados e manifestaram insatisfação pelas redes sociais. “O Senador não tem consideração para quem ficou até o final com ele, mesmo vendo que ele já estava derrotado por conta de suas incompetências políticas, que falta de respeito, consideração e sensibilidade com a gente”, disse um ex-funcionário.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

 

O Expresso AM entrou em contato com o gabinete do Senador Eduardo Braga, mas não obteve resposta sobre o caso.


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas