Egito se nega a receber chanceler do Brasil após declaração de Bolsonaro

São Paulo – O Egito cancelou a visita oficial do ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes Ferreira, ao Cairo, após declaração do presidente eleito, Jair Bolsonaro, de que pretende transferir a embaixada brasileira em Israel para Jerusalém, informou a Veja.

A decisão do Cairo, oficialmente, alegou problemas de agenda. No entanto, fontes no Itamaraty reconhecem que a medida foi uma resposta às recentes declarações do presidente eleito do Brasil, referentes à transferência da embaixada do Brasil para Jerusalém.

A declaração de Bolsonaro repercutiu de forma extremamente negativa nos países árabes, que são um importante mercado para produtos brasileiros e também parceiros em diversas agendas multilaterais.

Aloysio Nunes Ferreira está em Xangai, na China, onde participa da feira de comércio exterior China International Import Expo (CIIE). A viagem ao Egito estava programada para o dia 8 de novembro. Ele iria se reunir com o presidente do país, Abdel Fattah al-Sisi, e com o ministro das Relações Exteriores, Sameh Shoukry.

Segundo a revista, uma delegação de empresários brasileiros aguardava o ministro no Cairo, acompanhada por representantes do Ministério da Defesa e da Agência de Promoção de Exportações (Apex).

O Egito é um dos principais parceiros comerciais do Brasil no Oriente Médio, com uma balança comercial de quase US$ 2 bilhões e um saldo comercial de US$ 1,33 bilhão.

Com informações Sputnik Brasil 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
13 ⁄ 13 =