Em depoimento, vigilante diz ter atirado em jovem ‘sem intenção de matar’

Manaus – O estudante Isaque Jorge da Silva Correa, 17, foi morto, com um tiro na nuca, na madrugada deste domingo (12), pelo vigilante Juliano Cesar Tanabe Azevedo, 25, no estacionamento de um posto de combustíveis, na zona oeste de Manaus, segundo informou o tio do adolescente, o promotor de logística Luiz William Oliveira da Silva, 32.

O vigilante foi preso e, em depoimento à Polícia Civil (PC), afirmou ter desconfiado que o estudante e os amigos estavam furtando uma moto e efetuou um disparo de advertência, sem  intenção de matar.

Nesta segunda-feira (13), o vigilante, que é funcionário terceirizado da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), será encaminhado a uma audiência de custódia, conforme informações da equipe do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

De acordo com Luiz, Isaque havia saído com, pelo menos, dez amigos para comemorar o aniversário dele, que havia sido no último dia 10, e chegaram ao estacionamento do posto ao lado do Terminal 2 do Aeroporto Eduardo Gomes, conhecido como ‘Eduardinho’, na Avenida Santos Dumont, no Tarumã.

Com base no relato dos amigos de Isaque, Luiz disse que pessoas se aproximaram do grupo e pediram ajuda para fazer uma motocicleta funcionar, ocasião em que o jovem foi baleado.

O tio da vítima disse que  Isaque foi levado ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, onde chegou morto. Segundo ele, policiais da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) faziam ronda, quando escutaram o tiro, prenderam o vigilante e o levaram ao 19º DIP.

No depoimento do vigilante, que a reportagem teve acesso, Juliano disse que os jovens tentavam depredar placas de sinalização da Infraero e que recebeu a ordem de um inspetor para verificar a situação. Ao avistar os jovens, suspeitou que eles estavam furtando uma moto. O vigilante disse ter atirado para o alto e não percebeu que havia atingido Isaque.

O pai do estudante, o industriário Fabrício Jorge Correa, 40, cobrou justiça. “Ele tinha um futuro pela frente. Peço justiça”, afirmou. Ontem, no velório, familiares estavam comovidos.

A assessoria de imprensa da Infraero informou que está colaborando com as investigações e aguarda a conclusão do procedimento para adotar medidas cabíveis. Com informações D24am.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
10 × 7 =