Enfermeiro é morto em Manaus e policial militar é suspeito

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'expr41812039866.wp_ryp5frf1zq_impulsosocial' doesn't exist]
SELECT * FROM wp_ryp5frf1zq_impulsosocial

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'expr41812039866.wp_ryp5frf1zq_impulsosocial_popup' doesn't exist]
SELECT * FROM wp_ryp5frf1zq_impulsosocial_popup

Manaus – O enfermeiro Jonevan Pessoa da Costa, de 21 anos, foi assassinado com dois tiros de arma de fogo, na noite do domingo (10). O crime ocorreu no bairro Alvorada II, Zona Centro-Oeste de Manaus. Um policial é suspeito de ser autor dos disparos. O Comando da Polícia Militar do Amazonas e a Polícia Civil apuram o caso.

Segundo a equipe de investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), por volta das 20h, o enfermeiro descia as escadas de um imóvel situado na Avenida H, quando um policial teria disparado três tiros contra a vítima. Dois disparos atingiram Jonevan, sendo um na perna e outro na cabeça.

Jonevan Pessoa da Costa foi morto com 2 tiros (Foto: Arquivo Pessoal)
Jonevan Pessoa da Costa foi morto com 2 tiros

O enfermeiro saía do local depois de participar de uma festa no terraço de um prédio. A polícia disse que o Jonevan havia se envolvido em uma briga e o PM também participava da festa.

O jovem chegou a ser socorrido por familiares e levado para o Hospital Pronto-Socorro (HPS) João Lúcio, na Zona Leste da capital. O enfermeiro não resistiu aos ferimentos e morreu às 23h. A causa da morte foi traumatismo crânio-encefálico, de acordo com Instituto Médico-Legal (IML).

A Polícia Civil informou que, após atirar no enfermeiro, o policial se apresentou no 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Em depoimento, o PM alegou que atirou para se defender e achava que o jovem estivesse armado com uma faca. O policial foi liberado e aguardará decisão da justiça.

O crime foi registrado no 10º DIP e na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros.

O Comando da Polícia Militar do Amazonas informou, por meio de nota, que ao tomar conhecimento do ocorrido, determinou a abertura de Procedimento Administrativo Disciplinar para apurar a conduta do Oficial Tenente, bem como acompanhar o inquérito policial junto à Polícia Civil.

“Informamos ainda que será aberto Conselho de Justificação para apurar a conduta moral e si o policial permanecerá ou não na instituição. O caso está registrado no 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP)”, informou a PM.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
20 − 13 =