Este bar foi proibido de servir clientes na calçada. Então…

Caxias do Sul = Nem a redução no número de 150 para 90 mesas afastou os frequentadores do Restaurante Família Zanuzi, de Caxias do Sul (RS). Após o estabelecimento ser notificado pela prefeitura de que não poderia mais ocupar a calçada, clientes resolveram driblar a medida de forma bem-humorada: estacionaram dois caminhões com mesas e cadeiras em frente ao local, que serve lanches, almoço e bebidas, além de realizar shows nos fins de semana.

A brincadeira ocorreu na sexta-feira, 3, uma semana depois da notificação, que leva em consideração a Lei Complementar nº 377, de 22 de dezembro de 2010, relativa ao Código de Posturas do município. De acordo com o artigo 135 da determinação, estabelecimentos podem ocupar até metade das calçadas desde que não fiquem em oito pontos específicos do centro da cidade – um deles está justamente na Rua Alfredo Chaves, endereço do Zanuzi desde 2007.

Clientes sentam em caminhões estacionados em frente ao restaurante em Caxias do Sul

“Nós não sabíamos, mas respeitamos a determinação e retiramos as mesas e cadeiras assim que fomos notificados. A lei precisa ser repensava, reestudada, não leva em conta a necessidade da população”, disse o proprietário Sílvio Zanuz, que afirma já ter aberto um pedido de revogação na Secretaria Municipal do Urbanismo (SMU).

Segundo ele, o faturamento reduziu 40% na última semana, levando em consideração a perda dos 60 lugares dispostos na calçada. Por isso, alguns frequentadores se uniram para trazer os caminhões, que ficaram no local até o anoitecer. “Foi uma ideia criativa, fez o pessoal pensar. O nosso bar não prejudica ninguém”, explicou o empresário.

Silvio Zanuz (à esq.), proprietário do bar Zanuzi

Nas redes sociais, Sidi Rodriguez chamou os caminhões de “pau de arara beer”. Segundo ele, no sábado seguinte à autuação, 28, vários clientes como ele colocaram tapetes em frente ao local para aproveitar o dia ao ar livre.

“Eu achei uma ótima sacada. Ficou até engraçado, e não foi uma coisa de crianças birrentas: estávamos a fim de tomar uma cerveja na rua e encontramos um lugar para isso”, relata. “Não foram protestos, foram atos espontâneos de clientes que gostam muito do bar. Lá tem música ao vivo de graça, o que é um diferencial na noite caxiense, além de bom atendimento e preço justo. Muitas famílias frequentam o lugar”, explica Sidi, cliente há cinco anos.

Além da calçada, Zanuz ainda discute com a Prefeitura uma permissão para fechar a rua nos dias 24 e 28 de fevereiro para receber dois blocos de Carnaval. Segundo eles, no último ano, o evento reuniu quase três mil foliões.

Por Estadão Conteúdo. 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
30 + 29 =