Homem joga gasolina e ateia fogo na ex-mulher em Parintins


Manaus – O caseiro Claudemir da Silva de Souza, de 27 anos, é suspeito de jogar gasolina e atear fogo no corpo da ex-mulher dele, uma diarista de 27 anos. A vítima sofreu queimaduras de terceiro grau em cerca de 90% do corpo. O crime ocorreu na madrugada deste domingo (1º), no loteamento Tonzinho Saunier, Zona Sul de Parintins (município distante 368 km de Manaus). Por conta da gravidade dos ferimentos, a mulher precisou ser transferida com urgência para tratamento na capital amazonense.

De acordo com relatos de vizinhos, a diarista, desesperada e com o corpo em chamas, corria e gritava por socorro pelas ruas da comunidade, onde o crime ocorreu. Uma das vizinhas, ao ver o desespero da mulher, jogou areia sobre o corpo dela, enquanto os outros moradores da região acionaram a polícia.  A diarista recebeu os primeiros socorros ainda no local por uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (Cbmam) e posteriormente foi levada para o Hospital Regional Jofre Cohen, em Parintins.

A delegada Alessandra Trigueiro, que investiga crimes de violência contra a Mulher, visitou a unidade hospitalar de Parintins, ainda na madrugada de domingo, e junto com uma equipe de policiais civis coletou o depoimento da vítima e de testemunhas para instaurar uma inquérito policial. Claudemir foi denunciado pela vítima e por testemunhas como sendo o autor do crime que, segundo a polícia, tem características de tentativa de homicídio.

A mulher teve 90% do corpo queimado – Fotos: Divulgação/PC-AM

“Foi um crime bárbaro, todos nós ficamos impactados em ver o estado que se encontra a vítima”, disse a delegada, informando quais medidas adotou em relação ao caso. “Ela me confirmou que o ex-companheiro foi o autor dessa tentativa de homicídio e o motivo teria sido o fato do acusado, há algum tempo, já vir lhe ameaçando. Ele suspeitava que a mesma havia dado fim em duas espingardas de propriedade do acusado, ou seja, o motivo do crime foi banal, fútil”, afirmou a autoridade policial.

A delegada acredita que Claudemir possa ter fugido para Barreirinha (município distante 331 km de Manaus), terra natal dele, porém, as polícias Militar e Civil continuam as buscas para tentar localizar o homem em Parintins. “Tenho certeza que muito em breve vamos prendê-lo para que ele possa responder pelo crime que cometeu”, afirmou Alessandra Trigueiro.

A violência contra a mulher em Parintins vem crescendo. Segundo o serviço de Assistência Social da delegacia da Mulher, em média são registrados cerca de 20 casos por mês de violência e abuso envolvendo mulheres de todas as idades.

Com informações Em Tempo


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas