Alunos fazem rifa e dão R$ 400 para professor com salário atrasado

Fortaleza – A história do professor cearense Bruno Rafael Paiva é comovente e expõe a situação precária de um país que trata a educação como perda de tempo.

Trabalhando há dois meses e meio em uma escola estadual na cidade de Brejo Santo, no interior do Ceará, Bruno ainda não recebeu nem o primeiro salário. Foi quando os alunos perceberam a situação financeira difícil do professor e resolveram ajudar de alguma forma.

O docente foi surpreendido por estudantes de uma turma do 1º ano do ensino médio, que solidários à situação do professor, conseguiram arrecadar R$ 400 através de uma rifa e entregar a Bruno.

Em uma publicação no Facebook, o professor do Ceará  agradeceu a surpresa feita na terça-feira (15) e contou as suas dificuldades por conta dos atrasos no pagamento. “Esse mês quando vi que não ia receber depois de um mês e meio de trabalho, vi tudo ficar preto, afundei na depressão preocupado e perdido sem saber como ia pagar as contas e ajudar minha família que está de mudança e com muitas das barreiras da vida”, escreveu.

“Esses alunos ficaram sabendo da minha situação financeira, minha dificuldade pra continuar na escola e por estar até dormindo em local emprestado já que não sou da cidade de Brejo santo, e sem me contar nada, correram atrás de comprar uma cesta da Cacau show, fazer uma rifa, correr que nem doidos pra poder vender todas na escola e arrecadar 400 reais para me ajudar”, desabafou o professor no Facebook.

“Tenho muitas salas que amei de coração ser professor, mas nunca nenhuma sala demonstrou tamanho amor, ajuda e carinho por meu trabalho de professor como o 1° #Edificações fez hoje”, agradeceu o docente.

Secretária de Educação diz que pagamento está em dia

Em nota, a Secretaria da Educação afimou que “não há atraso de qualquer natureza na remuneração do professor Bruno Rafael, contratado em caráter temporário por 60 dias. O prazo corresponde a licença médica de professora efetiva da rede pública”.

A Seduc informou ainda que foram seguidos todos os trâmites do processo de contratação, previstos na legislação vigente. Dessa forma, o professor será remunerado em primeiro de junho de 2018, sendo respeitado o prazo estabelecido no ato de contratação temporária.

(Com informações do IG)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
26 ⁄ 13 =