Image and video hosting by TinyPic

Meu chefe sempre atrasa meu pagamento e com isso tenho vários problemas. Qual meu direito?


Manaus –  Caro leitor(a) o salario constitui fonte de subsistência dos trabalhadores e de suas famílias. Por isso é possível presumir DANO MORAL quando o pagamento atrasa, mesmo sem prova do constrangimento.

A esse propósito:

O artigo 2° da CLT prevê que uma empresa não pode transferir os riscos e dificuldades de sua atividade econômica para os empregados, isto quer dizer que, não importa qual a situação de dificuldade de uma empresa, não há um motivo válido para que o salario atrase.

O Tribunal Superior do Trabalho TST  sobre o tema ‘’atraso de salário’’ editou a súmula 381 que narra. O pagamento dos salários até o 5° dia útil do mês subsequente ao vencimento não está sujeito à correção monetária. Se essa data limite for ultrapassada, incidirá o índice da correção monetária do mês subsequente ao da prestação dos serviços, a partir do dia 1°.

Ademais a 1° Turma do Tribunal Regional do trabalho da 5° Região (BA) condenou uma companhia de engenharia a indenizar dois pedreiros em R$10 mil (R$5 mil para cada).

O atraso de salário deles de deu entre janeiro e abril de 2016 e por conta disso disseram que foram forçados a contrair mais dívidas. O juiz de primeiro grau negou o pedido, mas a sentença foi reformada pela Desembargadora Ivana Magaldi.

A relatora concluiu que a empresa não comprovou os repasses dos salários. Assim, é presumível que causou aos empregadores vexames, sofrimentos e angústia, pois os salários são suas fontes de sustento.

A desembargadora sustenta que o empregador não pode atrasar a remuneração de seus funcionários com base em quedas no número de vendas ou de produção, porque cabe aos empregadores assumir exclusivamente os riscos por seus negócios.

Precedente.

Processo 0000430-17.2016.5.05.0651

Ainda sobre o tema existe hoje em tramitação no Senado Federal proposta na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) que OBRIGA o empregador que atrasar o pagamento de salario do trabalhador até o quinto dia útil do mês a pagar multa de 5%do salário, acrescido de 1% por dia de atraso.

O autor do Projeto de lei do Senado (PLS) 134/2015Senador Reguffe (sem partido-DF), ressalta que a medida visa proteger o empregado, que é a parte mais vulnerável na relação de trabalho.

Portanto caro leitor(a) com base no precedente informado fundamentado ainda no artigo 2° da CLT e também na súmula 381 do TST é possível concluir que atrasos reiterados no pagamento do salário gera multa e também pode gerar DANO MORAL PRESUMIDO.

Em caso de dúvida consulte sempre um Advogado.

Essa dica é do Advogado Empresarial Dr. André Oliveira CEO da banca de Advocacia André Oliveira Advocacia Especializada www.aoliveiraadvespecializada.adv.br , especialista em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho, Direito Cível e Processo Cível, Pós-Graduando em Direito Penal e Processo Penal, Atual Procurador Jurídico da Câmara Municipal de Itapiranga-Am e Assessor Jurídico da Câmara Municipal de São Sebastião do Uatumã, também já ocupou o cargo de Procurador Geral dos municípios de Novo Airão, de Rio Preto da Eva e foi Assessor Jurídico da Prefeitura de Santa Isabel do Rio Negro.

www.aoliveiraadvocaciaespecializada.adv.br

e-mail: contatoaoliveiraadv@gmail.com

Facebook:

Caro leitor(a) o salário constitui fonte de subsistência dos trabalhadores e de suas famílias. Por isso é possível…

Posted by André Oliveira Advocacia Especializada on Tuesday, June 12, 2018

Instagram

Se você está pensando em pedir demissão, primeiramente deverá saber que quem deve cumprir o Aviso Prévio é você, ou seja, é necessário comunicar ao Empregador o interesse em se desligar do emprego com uma antecedência mínima de 30 dias. Uma dúvida bastante comum é se o aviso prévio proporcional (aquele que vai até 90 dias) se aplica ao empregado que pede demissão. A resposta é não, pois o entendimento predominante é de que o aviso prévio proporcional só vale para dispensas sem justa causa. Note que o empregador pode lhe dispensar do cumprimento desse aviso prévio, porém esta é uma decisão que compete tão somente ao patrão. Mas ai você pergunta: “E no caso de o empregado já ter arranjado um novo emprego, o patrão é obrigado a liberar do cumprimento do aviso prévio no pedido de demissão?” A resposta é: DEPENDE. Não existe na lei nenhuma obrigação do empregador dispensar o empregado do cumprimento do aviso caso este tenha encontrado um novo emprego. No entanto, em várias CONVENÇÕES COLETIVAS está presente uma cláusula obrigando o empregador a dispensar o empregado do cumprimento do aviso prévio no caso de novo emprego comprovado. Em caso de dúvidas consulte-nos! Telefone: (92) 3302-6992 Email: contatoaoliveiraadv@gmail.com Site: www.aoliveiraadvespecializada.adv.br #AndreOliveira #Direito #Advogados #ConhecaSeusDireitos #fiquesabendo

A post shared by AndreOliveira.advespecializada (@andreoliveira.advespecializada) on

(92) 3302-6992

WhatsApp (92) 99142-3270


Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
3 × 24 =