Mulher erra tiro ao tentar acertar marido durante briga e mata amiga


São Paulo – Uma  jovem de 22 anos morreu após ser atingida acidentalmente durante uma briga entre um casal de amigos na noite deste sábado (28), em Mongaguá, no litoral de São Paulo. Andressa Silva Gouveia era moradora de Diadema (SP) e tinha ido passar o fim de semana no litoral com outros casais. A autora do disparo fugiu após o crime. A arma utilizada também não foi encontrada.

Testemunhas ouvidas pela polícia disseram que o grupo de amigos alugou uma casa no Balneário Vila Seabra para passar o fim de semana. Por volta das 21h30 de sábado, eles conversavam perto da piscina quando Zilma Rodrigues do Amaral e Alexandre Antonio dos Santos, ambos de 38 anos, começaram a discutir.

“Ela deu um tiro em direção ao companheiro e acertou uma moça que estava sentada em uma cadeira perto da piscina. Um dos homens que estava lá foi para cima dela e tirou a arma. Ela fugiu, foi embora da casa. Enquanto isso, os outros socorreram a jovem. A Polícia Militar foi chamada”, diz Marcos Roberto da Silva, delegado de Mongaguá.

Andressa foi atingida na região do tórax. Ela foi socorrida e levada para o Pronto-Socorro de Mongaguá, mas não resistiu aos ferimentos e morreu pouco tempo depois. O corpo dela foi encaminhado ao Instituto Medico Legal (IML) de Praia Grande (SP), neste domingo (29), e permanecia no local até a publicação desta reportagem.

Segundo o delegado, Zilma e Alexandre não são casados, mas mantêm um relacionamento há 12 anos e têm uma filha. Os amigos disseram à polícia que o casal costumava brigar nas festas e eventos da turma e que, por isso, acharam que era uma situação normal. Após os disparos, ninguém soube dizer onde foi parar a arma utilizada no crime.

“Eu ouvi todo mundo, mandei perícia ao local, mas terei que apurar ainda mais. Todos eles não quiseram se envolver muito no assunto. O problema é que a arma desapareceu. O companheiro dela [Alexandre], que ficou na casa, disse que não sabe, não viu a arma. Isso ficou no ar”, comentou o delegado.

Delegacia de Mongaguá, SP (Foto: G1 )

Ele afirma que o inquérito será instaurado e que a Polícia Civil espera que a Zilma se apresente na delegacia nas próximas horas. “Senão, terei que pedir prisão temporária. Ela, quando atirou em direção ao companheiro, cometeu uma tentativa de homicídio, mas acertou uma pessoa que não tinha nada a ver com isso. Ela deve responder por homicídio doloso”, afirmou o delegado.

 Com informações G1

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas