Secretário de Saúde do Estado anuncia plano de corte de custos


Manaus – Em audiência na Câmara, o secretário Pedro Elias afirmou que não haverá recursos para a saúde se não forem adotadas medidas.

O secretário de Estado da Saúde do Amazonas, Pedro Elias, informou, nesta segunda-feira (30), durante audiência pública na Câmara Municipal de Manaus (CMM) para discutir o ordenamento da área de saúde do Estado, que o orçamento do Estado já estava comprometido no ano passado e aumentou em 2016.

“Se medidas não forem tomadas energicamente agora, não vamos ter recursos para costear a saúde do Estado daqui a dois ou três meses. E estou falando especialmente na rede de atenção na média e alta complexidade”, afirmou.

Foi anunciado pelo governador José Melo no último dia 21, um corte de gastos na estrutura do Estado para economizar mais de R$ 500 milhões. Dessa forma as áreas mais afetadas pelo reordenamento na estrutura do Estado foram as pastas de Saúde, com redução de R$ 316 milhões, e a de Cultura, onde o corte deve chegar a R$ 35 milhões, com o fim do apoio aos festivais.

“Esta ação deve ter apoio da sociedade civil para que não tenhamos problemas muito mais grave em que tenhamos que fechar unidades sem conversar e sem planejar”, disse Pedro Eliasque  salientou a importância de ouvir a sociedade sobre medidas que devem ser tomadas.

Ainda na audiência, o secretário de Estado de Administração e Gestão do Amazonas, Evandro Melo, afirmou que o governo do Estado sabia que as medidas de reordenamento do setor de saúde no Estado seriam impopulares, mas que são necessárias para manter a máquina pública estadual na área de saúde funcionando.
Ainda nesta segunda-feira, o secretário Evandro Melo afirmou que as mudanças não alterarão o atendimento na saúde em Manaus.

“Quem for aos SPAs que irão se tornar  Unidades Básicas de Saúde (UBS) vai continuar sendo atendido. O modelo proposto pela Secretaria (de Estado) de Sáude é que os casos agudos continuarão sendo atendidos da mesma forma que os SPAs”, disse.

Durante a audiência, vereadores, deputados estaduais e representantes da sociedade civil apresentaram propostas e reivindicações.


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas