Novo Secretário de Temer agrediu ex-companheira e assediou ex-funcionária

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'expr41812039866.wp_ryp5frf1zq_impulsosocial' doesn't exist]
SELECT * FROM wp_ryp5frf1zq_impulsosocial

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'expr41812039866.wp_ryp5frf1zq_impulsosocial_popup' doesn't exist]
SELECT * FROM wp_ryp5frf1zq_impulsosocial_popup

São Paulo – O novo secretário nacional de Juventude, Bruno Moreira Santos, do governo interino de Michel Temer, foi acusado de agressão, ameaça e assédio sexual por duas mulheres.

Aos 24 anos, ele é presidente da Juventude Nacional do PMDB e filho do deputado estadual de Minas Gerais Cabo Júlio, do mesmo partido.

A indicação de Bruno foi publicada no Diário Oficial desta segunda-feira (20). O salário do cargo é de R$ 13.974,20.

Em um dos boletins de ocorrência registado em Belo Horizonte, a ex-companheira Vitoria Abreu Alves da Costa diz que ele a agrediu com “socos, tapas, chutes e puxões de cabelo, além de ameaçá-la com uma faca”.

De acordo com Vitoria, ela teria sido agredida porque Bruno não aceitou o término do relacionamento.

No outro boletim de ocorrência, registrado em setembro de 2015, uma funcionária de uma agência do governo de Minas Gerais subordinada a Bruno relata ter sofrido assédio sexual por parte dele.

Ela disse que Bruno lhe fazia “insistentes propostas de relacionamento, elogiando-a acintosamente, convidando-a para lhe acompanhar em viagens, além de usar termos mais ousados, sempre manifestando o interesse em manter algo mais íntimo com a solicitante”. No boletim, a funcionária afirma ainda que as investidas, após as recusas, passaram a vir acompanhadas de ameaças de demissão.

A Secretaria Nacional de Juventude é vinculada à Secretaria de Governo da Presidência e coordena as políticas voltadas para os jovens brasileiros.

 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
8 × 2 =