Pai de bebê morto em Copacabana chama motorista de ‘assassino’ e pede justiça

Rio – O pai da bebê, de oito meses, que morreu no atropelamento em Copacabana (RJ) na noite desta quinta-feira (18), chamou o motorista de “assassino”. A mãe da menina, Niedja da Silva Araújo, está internada em estado grave.

“Quero Justiça, que ele fique preso. Não é para ter carteira de motorista nem estar dirigindo. Ele é um assassino. Matou minha filha”, disse o motorista de Uber Darlan Rocha.

O motorista que causou a tragédia, Antônio de Almeida Anaquim, de 41 anos, disse aos policiais que “não bebe” e que sofreu um ataque epilético.

De acordo com o site do Detran, a carteira de habilitação de Antônio está bloqueada. Nos últimos 5 anos, ele acumulou 62 pontos e 14 multas. Nesta sexta-feira (19), o departamento informou que o motorista cometeu um crime de trânsito e que seu documento será cassado.

Com informações Notícias ao Minuto 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
29 − 18 =