Pastor que tinha cascavel como sinal de fé morre após ser picado por serpente

Rio – Um pastor cujo pai, também líder religioso, foi morto por uma cobra que ele manipulava durante culto, foi picado por uma serpente.

Cody Coots estava pedindo que os fiéis o levassem a uma montanha onde Deus julgaria se ele mereceria viver o morrer quando se deixou ser picado no rosto. “Vamos deixar Deus me curar!”, gritou ele aos fiéis na pregação. Depois, esperou o ataque da cobra.

As imagens são fortes! Assista:

HISTÓRIA SE REPETE?

Em 2014, Jamie Coots, pai de Cody, morreu ao fazer o mesmo desafio em sermão na pequena igreja Full Gospel Tabernacle in Jesus’ Name, em Middlesboro (Kentucky, EUA), que é comandada agora pelo filho. A igreja é inspirada em um versículo de Marcos, na Bíblia: “Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão.”

Com sangue na roupa, Cody continuou falando aos fiéis. Ao contrário do pai, ele foi levado não a uma montanha, mas a um hospital próximo, e sobreviveu à picada. Os médicos disseram, segundo o “Metro”, que Cody teve “muita sorte”.

A igreja dos Coots não é a única que usa cobras em nome da fé. E não é a primeira a ter “acidentes”. Em 2012, o pastor Mack Randall Wolford, de 44 anos, foi picado mortalmente por uma cascavel durante sermão ao ar livre, na Virgínia Ocidental. Trinta anos antes, o pai dele, também pastor, foi morto da mesma forma. Em 2015, na Igreja Pentecostal de Kentucky, o líder evangélico David Brock morreu ao ser picado durante culto.

(Com informações do portal Extra)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
16 × 15 =