Polícia apresenta principais executores de jovem que aparece em vídeo sendo decapitada

Manaus – Dois homens que aparecem no vídeo da execução brutal da jovem Débora Bessa, de 19 anos foram presos pela Polícia Civil, na última terça-feira (30).

Os responsáveis por decapitar e esquartejar a jovem foram apresentados na Delegacia de Investigações Criminais (DIC), na cidade de Rio Branco.

Um dos executores foi identificado como André de Souza Martins, de 28 anos. Ele aparece no vídeo com um terçado na mão, e degolando logo em seguida a vítima. André já responde por diversos crimes entre eles tráfico de drogas e estupro. A blusa usada por ele no dia do assassinato foi encontrada durante a prisão com diversas manchas de sangue possivelmente da vítima. A roupa deve passar por perícia para comprovar se o sangue utilizado no processo era da Débora.

André de Souza Martins, de 28 anos, responde por diversos crimes entre eles tráfico de drogas e estupro

O outro envolvido no assassinato não teve a identidade revelada pelo fato de ser menor de idade. Após a repercussão do caso o adolescente de 16 anos, se entregou à polícia no último final de semana, a participação dele no crime pode ser vista no vídeo, o menor aparece nas imagens deferindo diversos golpes de faca em Débora.

Menor se entregou após o vídeo de vítima sendo decapitada viralizar.

Outros dois  envolvido no homicídio continuam foragidos.  Segundo a polícia, participaram do crime duas mulheres e quatro homens, sendo dois adolescentes, e devem responder pelos crimes de, homicídio qualificado, organização criminosa e ocultação de cadáver.

Bonde dos 13 

De acordo com a família, Déborah queria sair da facção criminosa “Bonde dos 13” após  o filho de dois anos ser diagnosticado com câncer.  Mas ela não conseguiu. Alguns dias depois, seu corpo foi encontrado enterrado, em uma região  de  mata fechada, em Rio Branco.

A morte de Déborah foi gravada e divulgada nas redes sociais. O vídeo brutal dura apenas 60 segundos, além disso os assassinos  exaltavam o Comando Vermelho, rival da facção Bonde dos 13. A polícia não fez questão de ajudar a encontrar o corpo pois ela “era de facção”, segundo Sara Freitas, a irmã da vítima.

O corpo de Débora, foi encontrado pela própria família que realizaram buscas durante 3 dias pela região de mata localizada no bairro Caladinho.

Ainda segundo os familiares, o cadáver só foi encontrado após ligações anônimas, informando onde Déborah foi enterrada. Após encontrarem o corpo sendo devorado por urubus  a polícia foi acionada para retirar os restos mortais da jovem.

Corpo foi encontrado na região de mata do bairro Caladinho

Devido ao avançado estado de decomposição do corpo, não houve velório. O laudo perícial deve ficar pronto no final do mês de fevereiro. “A única coisa que querermos é que as autoridades punam os responsáveis por essa atrocidade que fizeram com Débora. Sabemos que nada nesse mundo vai trazer ela de volta”, diz a irmã.

 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
30 − 18 =