Pré-candidatura do Delegado Costa e Silva a deputado estadual ganha força no Amazonas

Manaus – O presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Amazonas, delegado Rafael Costa e Silva decidiu lançar seu nome como pré candidato a deputado estadual. Fizemos algumas perguntas a ele para saber quais são suas ideias para efetivar esse projeto.

1 – Delegado, porque decidiu ser pre candidato a deputado estadual?

Tenho andado e conversado com muitas pessoas na capital e interior, as quais tem reclamado bastante do cenário político atual. Em todo lugar que vou escuto que a política precisa de renovação e comprometimento voltado para honestidade e legalidade. Está claro o descontentamento geral.

É nesse contexto que decidimos abraçar um projeto, levando a todos um discurso forte de conscientização política e combate à corrupção. É importante colocar na cabeça do povo que eles não podem cair nos atrativos da velha política. Costumam prometer ou conceder vantagens em troca de voto.

Esse tipo de política permite que o cidadão desfrute de alguma benesse temporária, mas ficará à mercê do descaso por quatro anos. Hospitais com grandes filas, falta de leitos e medicamentos, escolas com merenda de baixa qualidade, buraco nas pistas, desemprego e falta de segurança nas ruas. Do outro lado, agentes políticos esbanjando de maneira que ultrapassa até mesmo seus salários mensais.

2 – Como seria o combate à corrupção que o delegado Costa e Silva pretende realizar?

Acompanhar de perto, fiscalizar e, se necessário, impugnar aquelas situações em que há desvio de dinheiro público e fraudes em licitações. Não podemos permitir que o estado e o país continuem sofrendo essas desigualdades onde somente um lado da situação se dá bem com o dinheiro do povo, e o outro lado fica abandonado.

3 – O Amazonas é peculiar por ser uma região de muitos rios, há algum projeto nesse voltado para isso?

Por ter sido delegado chefe da delegacia fluvial do Amazonas, tenho enfatizado a necessidade de se buscar recursos federais e estaduais para investimento na defesa de nossas fronteiras, com a criação de forças fluviais de fiscalização.

Essa força seria composta de policiais civis, militares, federais e órgão ambiental como o Ibama, nos rios Negro, Amazonas e Solimões, no perímetro da capital Manaus.

Além da criação dessas bases, não podemos esquecer a necessidade de estrutura como fuzis, coletes balísticos flutuantes, lanchas blindadas, equipamentos de visão noturna e comunicação em tempo real com a capital. Um verdadeiro combate ao tráfico de entorpecentes e à pirataria nos rios.

4 – Na sua visão, o que poderia ser feito para reduzir a criminalidade nos dias atuais?

Uma polícia moderna é aquela que tem aproximação com o povo. Precisamos trabalhar cada vez mais a relação de confiança entre a comunidade e a polícia. A melhor forma de fazer isso é reunindo com os comunitários dos bairros em reuniões periódicas. A segurança pública é uma matéria multidisciplinar, sendo interessante articular também com a educação e assistência social. Os policiais também podem participar de projetos sociais como música, arte e esportes com os menores de idade. Para aumentar essa aproximação o cidadão tem que ter o contato e o telefone direto sa viatura que faz ronda em seu bairro.

Precisamos lutar para mudar essa inversão de valores que vivemos hoje. Meliantes cheios de direitos, e cidadãos de bem vítimas de crimes.

Foto: Divulgação

5 – E para o interior? Quais seriam as ações voltadas na segurança pública?

Além do que já foi dito na resposta anterior sobre integração com educação e assistência social, vemos como preventiva uma ação voltada para criação de centros de monitoramento, com a colocação de câmeras de segurança nos municípios com maior índice de crimes, como Coari, Itacoatiara, Tabatinga, Manacapuru e outros. O uso das câmeras ajudam muito na elucidação de crimes, e também servem como uma forma de combate preventivo à criminalidade.

Ainda para o interior vemos como importante a criação de Gabinetes de Gestão Integrada, com a participação de órgãos e entidades municipais, estaduais e federais. Sem que seja necessário gastar muito, pode ser realizada a organização, sistematização e desburocratização dos serviços públicos, facilitando a resolução dos problemas para o povo menos favorecido, bem como o acesso a documentos básicos, como carteira de trabalho, rg e cpf.

6 – A grande população carcerária é um obstáculo no combate à criminalidade?

Vejo que a questão da impunidade é um dos grandes problemas que temos, pois o o infrator comete o crime já ciente de que não vai dar em nada. Com um sistema muito burocrático um processo demora muito para ser julgado, atrasando a formação de culpa daquele acusado.

Na parte carcerária, penso que os presos do regime fechado devem se profissionalizar dentro da cadeia. Aprender atividades para que possam prestar serviço ao estado, como construção de escolas, hospitais, recapeamento de rodovias. Se no regime semi-aberto o preso sai para trabalhar na rua, que trabalhe para o estado para pagar sua dívida com a vítima.

7 – Além de projetos de segurança, ainda há algo voltado para o desenvolvimento regional?

No interior de nosso Estado temos que ter sensibilidade para aqueles que vivem da agricultura e da pesca, concedendo condições para a produção de alimentos e venda de seus produtos. Eles precisam fazer parte do mercado econômico local. Temos que convencê-los da importância do desenvolvimento sustentável e das potencialidades naturais que cada município tem. Não podemos permtir que “estrangeiros” levem seus recursos naturais sem deixar fonte de renda para o comunitário.

Já na parte de tecnologia, precisamos avançar com investimentos e infra-estrutura para implementação de sinal de internet nos municípios que onde a maioria ficam incomunicáveis.

8 – Quais suas expectativas para esse ano?

Desejo que o povo analise com muito cuidado quais são os pré candidatos interessados, quais suas ideias para o Amazonas. Particularmente estou muito feliz, pois já somos mais de 50 mil seguidores entre facebook e Instagram. Eles estão bastante empolgados e muitos já se colocaram como voluntários para somar nessa união de forças. Convido o leitor para seguir nossa página do facebook e Instagram, pesquisando por Delegado Costa e Silva.

Por fim, agradeço a atenção e a oportunidade concedida pelo portal, e estou à disposição para dirimir as dúvidas.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
28 − 3 =