Quinteto é preso por estuprar crianças em Manaus

Manaus – Com o objetivo de prender envolvidos em crimes de abuso e exploração sexual infanto-juvenil na capital amazonense, a Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), deflagrou a Operação Araceli neste sábado (18/05).

Cinco pessoas foram presas em cumprimento a mandados de prisões. As investigações iniciaram há dois meses. Foram presos Adson Leandro Ximenes da Silva, 39, Francisco Justino da Silva, 63, Jehiel Erikson Alencar França, 36, Carmelino Vicente Gomes Freire e Cristovão Freitas de Sousa, 44.

Com os suspeitos foram apreendidos cinco notebooks, sete celulares e três HDs. O material será submetido a perícia, e a expectativa da polícia é que ele revele novos envolvidos nos crimes.

Com apoio da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), 23 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em bairros das zonas centro-sul, centro-oeste, norte e leste. Mais de 80 policiais civis participam da operação.

O titular da SSP-AM, coronel Louismar Bonates, acompanhou os cumprimentos de mandado ao lado do delegado-geral adjunto, Orlando Amaral.

“Essa operação foi feita, especialmente no dia de hoje, por ser o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração de Crianças e Adolescentes. Esse ano já foram presas 40 pessoas. Hoje prendemos mais cinco envolvidos nesse crime, que precisa ser combatido com dedicação, e é isso que estamos fazendo. Parabenizo todos os policiais envolvidos nessa ação tão importante”, disse.

De acordo com a delegada Joyce Coelho, titular da DEPCA, que coordenou a operação, as investigações levaram à prisão autores do crime de estupro de vulnerável, além de envolvidos em compartilhamento e armazenagem de conteúdo pornográfico infantil.

“Cumprimos mandados de busca para que a gente possa subsidiar as investigações e, com isso, identificar mais vítimas, mais autores, e assim combater o abuso e a exploração sexual de criança e adolescente. Principalmente no dia de hoje, que é um dia simbólico de luta. Queremos mostrar para a sociedade, chamar para essa luta, para esse combate, que é muito importante do ponto de vista da denúncia. Não podemos fechar os olhos para esse crime”, explicou.

A delegada disse, ainda, que os indivíduos que estão com mandados de prisão e não foram localizados, agora, são considerados foragidos. Os celulares e computadores encontrados com os cinco homens vão passar por perícia para encontrar os materiais de mídia de transmissão de dados de cunho sexual envolvendo crianças e adolescentes.

“É preciso combater isso de frente. As pessoas precisam saber que isso é crime e que elas serão punidas, para que a gente não feche os olhos para esse tipo de crime, que pode ser capitulado no código penal e também identificar vítimas, muitas vezes, crianças muito pequenas que não têm como denunciar ou se defender”, afirmou Joyc

Os cinco homens foram indiciados por estupro de vulnerável. Após os procedimentos cabíveis no prédio da DEPCA, os infratores serão encaminhados ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde ficarão à disposição da Justiça.

A operação foi batizada com o nome da menina Araceli Cabrera Sánchez, assassinada em 1973 no Espírito Santo, vítima de violência sexual. Ela foi abusada antes de ser morta, e o corpo só foi encontrado seis dias após o crime.

“Os seus abusadores nunca foram punidos e, em decorrência desse fato triste, foi instituído o Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual, que é justamente hoje, dia 18 de maio. Além da importância da repressão, precisamos ressaltar a conscientização da sociedade, pois todos somos responsáveis por essas crianças e adolescentes”, salientou a delegada.

Com o aumento das denúncias de abuso sexual contra crianças e adolescentes, o número de casos investigados pela Polícia Civil cresceu 28% no primeiro trimestre. Conforme indicadores da SSP-AM, entre janeiro e março de 2019, foram registrados 450 casos de abuso e/ou violência física, psicológica ou sexual contra crianças e adolescentes na capital amazonense.

De abril de 2018 a março deste ano, a DEPCA prendeu, em flagrante, 107 pessoas acusadas de cometer crimes contra crianças e adolescentes. Entre os principais estão os crimes de violência física e abuso sexual.

No mesmo período, foram cumpridos 38 mandados de prisão e/ou busca e apreensão, além da conclusão de 487 inquéritos encaminhados à Justiça e 250 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs). Até março deste ano, a Delegacia efetuou 40 prisões, segundo dados preliminares da SSP-AM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
19 + 30 =