Romário renuncia à vaga na comissão especial do impeachment

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'expr41812039866.wp_ryp5frf1zq_impulsosocial' doesn't exist]
SELECT * FROM wp_ryp5frf1zq_impulsosocial

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'expr41812039866.wp_ryp5frf1zq_impulsosocial_popup' doesn't exist]
SELECT * FROM wp_ryp5frf1zq_impulsosocial_popup

Rio – O senador Romário (PSB-RJ) renunciou nesta quarta-feira (1º) à vaga que ocupava na comissão especial do impeachment do Senado. A solicitação de renúncia foi lida em plenário pelo presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL). No pedido, Romário não apresentou os motivos da renúncia.

A senadora Lúcia Vânia (PSB-GO) foi eleita hoje (1º), em votação simbólica, integrante da comissão especial do Senado que analisa o mérito da denúncia por crime de responsabilidade contra a presidente afastada Dilma Rousseff. Ela substitui o colega de partido senador Romário (RJ), que apresentou hoje pedido de renúncia do colegiado.

A comissão é formada por 21 membros titulares e 20 suplentes. Após a aprovação da admissibilidade do pedido de impeachment, no dia 12 de maio, a comissão passou a ter caráter processante. Nessa fase, a condução do processo de impeachment está a cargo do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.

Dessa forma, o presidente do STF passa a ser a última instância recursal para resolver dúvidas e questionamentos. Assim, em questões de ordem apresentadas pela base de apoio a Dilma, por exemplo, caso a resposta de Lira seja negativa, os senadores poderão recorrer a Lewandowski.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
24 ⁄ 8 =