Sem subsídio, passagem de ônibus pode custar R$ 3,90 até fevereiro

Manaus –  O assessor jurídico do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), Fernando Borges, afirmou na tarde desta sexta-feira (27), que o valor da nova tarifa de R$ 3,30 será recalculado caso o Governo do Estado de fato suspenda a isenção do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e remissão do Imposto Sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA). A decisão do Governo foi anunciada hoje, após a Prefeitura de Manaus ter anunciado o aumento da passagem.

Como o Governo do Estado vai passar a cobrar os impostos que desde 2004 estão isentos,o representante das empresas diz que a tarifa precisará passar por alteração.

“Acabamos de saber pela imprensa que o Governo irá suspender essa verba. Se isso efetivamente vier acontecer, certamente vai ter impacto na nova tarifa. A Prefeitura de Manaus e a SMTU vão recalcular o valor, certamente”, explicou Fernando.

Fernando também ressaltou que os subsídios pagos pela Prefeitura de Manaus e o Governo do Estado são para reduzir os valores da tarifa.

“Qualquer suspensão de subsídio recai sobre a passagem. O bolso do consumidor que sofre com tudo isso. Os empresários vão pagar mais. Vai ter aumento de custo. Aumento na tarifa. É a economia”, disse o assessor acrescentando que o Governo do Estado fez uma decisão política. “Os empresários não podem fazer nada, pois isso foi uma decisão política”, disse.

Com informações Portal Acrítica/ Foto: Márcio James/Semcom

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
28 ⁄ 2 =