Taxista é suspeito de dopar e roubar passageiro durante corrida em Manaus

Manaus – Uma nova modalidade de crime pode estar ocorrendo em Manaus. Um mecânico, de 42 anos, que não quis ter o nome divulgado, acusa um suposto taxista de tê-lo dopado e roubado seus pertences, no último dia 10 deste mês, durante uma corrida, na Avenida Torquato Tapajós, Zona Centro-Oeste. As informações são do Em Tempo. 

De acordo com o mecânico, no dia do fato, ele estava saindo do trabalho, quando recebeu a ligação de uma amiga pedindo que ele comprasse medicamentos para ela. Na ocasião, ele fez parada para um Táxi, que passava no momento, e solicitou ao taxista que o levasse até drogaria mais próxima.

“Eu sei que era uma táxi padrão porque eu vi a placa vermelha e aquela sinalização própria no teto do carro. No percurso, o suposto taxista falou que precisava abastecer o carro. Paramos em um posto para comprar gasolina, ele desceu do carro, voltou com um refrigerante e me ofereceu. Minutos após tomar a bebida, comecei a ficar sonolento, nem consigo me recordar da marca do carro”, relatou a vítima.

Segundo o mecânico, ele acordou horas depois em um lanche no Bairro São Jorge,  Zona Oeste de Capital. Neste momento, percebeu que haviam sumido o seu celular, carteira, cartões de crédito e documentos.

No dia seguinte ao furto, a vítima solicitou extrato de um dos seus cartões de crédito e percebeu que havia sido realizada uma compra no valor de R$ 3.809,92 em uma loja de autopeças. Outras compras foram realizadas em vários postos de gasolina da cidade. O mecânico cancelou todos os cartões, e registrou o fato no 2° Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Foto divulgação

No vídeo das câmeras de segurança da loja de autopeças, onde foi realizada compra com o cartão da vítima, é possível ver o suspeito entrar na loja com caixas nas mãos. Ele paga a compra com cartão de crédito. De acordo com o mecânico, trata-se do mesmo homem que realizou a corrida de táxi com ele.

Sindicato Taxistas

O presidente do Sindicato dos Condutores Autônomos e Taxistas de Manaus (Sintax), Luiz Aguiar, disse que a categoria repudia esse tipo de atitude. Ele pede que a polícia investigue com rigor o caso e verifique se o taxista envolvido é legalizado.

“Essa é uma situação complicada. Nossa categoria já está passando por tantas situações difíceis, com questões de aplicativos, e ainda aparece mais esse caso. O fato deve ser apurado, pois existem muitos carros brancos, com placa cinza, que é irregular.

O presidente do sindicato ressalta que a população fique atenta no momento de pegar um táxi. Verificar se o carro tem placa vermelha, além de observar se, na lateral do carro, há o registro municipal (TA). Por meio desse número, é possível saber se o veículo é ilegal ou legal.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
52 ⁄ 26 =