Tiririca usa verba pública para bancar viagem e fazer show


Brasília – O deputado federal Tiririca (PR-SP) pegou carona no uso da verba indenizatória e pediu ressarcimento à Câmara de uma passagem emitida pela empresa aérea GOL, no dia 11 de agosto. O destino único do bilhete aéreo seria de volta a Brasília, saindo de Ipatinga (MG), com parada em Belo Horizonte e, posteriormente, pousando na capital federal. A emissão e o valor de ressarcimento da passagem constam no site da Câmara, no valor de R$2.746,52. O passageiro foi o próprio Tiririca, como adiantou o repórter Gabriel Mascarenhas na coluna Radar, da revista Veja.

A passagem coincide com a data do show “Tiririca Minha História”, no Centro Cultural Teatro Usiminas, no dia 12 de agosto, às 20h. A notícia sobre o evento foi postada em sua página de humorista no Facebook. A data de emissão da passagem representa a data em que o bilhete foi emitido e não a data da viagem, que provavelmente ocorreu após o show. Até o fechamento da reportagem, a assessoria do parlamentar não deu retorno sobre o pedido de entrevista feito por este site.

Com o slogan “Você sabe o que faz um deputado federal? Eu também não sei, vote em mim que eu te conto”, Tiririca foi o campeão de votos nas eleições de 2010 e recebeu nas urnas a confiança de mais de um 1 milhão de eleitores. Nas eleições de 2014, o deputado foi o segundo mais bem votado de São Paulo, também atingindo a marca de mais de 1 milhão de votos.

Em sua primeira legislatura(2011-2014), o deputado ficou entre os cinco mais participativos nas sessões deliberativas de plenário, ocasiões em que a presença física é obrigatória. O fato foi revelado em levantamento exclusivo realizado pelo Congresso em Foco, em 2015. Embora esteja entre os mais assíduos e apesar do gasto recente com o deslocamento, supostamente para motivos pessoais, Tiririca não está entre os mais gastadores.

Nas principais votações de 2016, Tiririca votou “sim”. Ele se manifestou a favor do impeachment de Dilma, da cassação de Eduardo Cunha, do teto para os gastos públicos, da reforma do ensino médio e do pacote de combate à corrupção, com a emenda que prevê o enquadramento de magistrados, promotores e procuradores entre as figuras públicas passíveis de responder por abuso de autoridade. Em 2017, o parlamentar também foi favorável ao prosseguimento das denúncias apresentadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Autor de 14 projetos de lei, alguns em parceria com outros deputados, Tiririca diz que já sabe como funciona o troca-troca entre os parlamentares para aprovar suas propostas. Mas que não compactua com a prática. “Um deputado diz para o outro: me ajuda a aprovar o meu projeto que eu ajudo você a aprovar o seu. Eu não faço esse tipo de jogo.”

Com informações Congresso Em Foco /  Foto: Agência Brasil


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas