Image and video hosting by TinyPic

Vírus respiratórios podem ser a causa da morte de dez crianças em Manaus


Manaus – Dez crianças com menos de dois anos de idade morreram em Manaus em menos de um mês por suspeita de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), uma doença causada por vírus. Outras 13 crianças com os mesmos sintomas estão sendo acompanhadas em isolamento. As informações foram confirmadas pela Secretaria de Estado da Saúde (Susam) e pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM).

Segundo os órgãos, as dez crianças morreram neste mês de abril. Elas estavam internadas no Pronto-Socorro Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, localizado na Zona Norte da capital, que é especializado em síndromes gripais e segue o protocolo do Ministério da Saúde (MS). Segundo a FVS, as crianças chegaram em estado avançado de gripe, com pneumonia, o que dificultou o efeito do medicamento Tamiflú, que atua principalmente nas primeiras 48 horas.

Conforme a FVS, amostras biológicas nas dez crianças mortas identificaram nelas os vírus da Influenza B e o Vírus Sincicial Respiratório como causadores da doença. “É protocolo coletar amostras biológicas de pacientes com SRAG, e nas amostras desses pacientes foram identificados os vírus da Influenza B e o Vírus Sincicial Respiratório, sendo descartada a etiologia por Influenza H1N1”, explicou diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque.

Os dez óbitos por SRAG ainda estão sendo investigados, mas segundo Albuquerque houve um aumento significativo de síndromes respiratórias em Manaus nos últimos meses, principalmente em crianças. “Esses vírus, de transmissão de pessoa a pessoa, tem maior possibilidade de infecção nesta época do ano. A doença pode ser passageira, mas também pode ocorrer complicações que levam ao óbito”, disse Bernardino Albuquerque.

13 crianças isoladas

Atualmente, 13 crianças estão em isolamento no Hospital Delphina Aziz por apresentaram os sintomas de síndrome gripal ou de síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Todas elas já chegaram à unidade hospitalar em estado grave ou gravíssimo. Entre os 13 pacientes, em cinco já foram confirmados o Vírus Sincicial Respiratório e em um deles o Influenza B, conforme informações da FVS. Os demais seguem em análise.

As 13 crianças internadas, ainda segundo a FVS, estão usando máscaras e assepsia constante nas mãos. Além delas, também utilizam máscaras e assepsia nas mãos os funcionários e colaboradores do Hospital Delphina Aziz e os acompanhantes, métodos preventivos e padronizados que seguem o protocolo do Ministério da Saúde.

Vacina e tratamento

Atualmente, existe na rede pública de saúde vacina contra o vírus Influenza B; porém para o Vírus Sincicial Respiratório, outro causador da SRAG, ainda não há vacinação nem na rede pública nem na particular. O público alvo da vacina contra o Influenza B são crianças de seis meses a 5 anos de idade, idosos, grávidas, doentes crônicos, indígenas, trabalhadores da saúde, professores e mães que tiveram filhos há 45 dias. As unidades básicas de saúde (UBS) disponibilizam tal vacina.

De acordo a Susam, o estoque de Tamiflú, medicamento usado para tratamento de pacientes com SRAG, foi reforçado em todas as unidades pediátricas de atendimento de urgência e emergência, e também foi feito um reordenamento de leitos hospitalares para atendimento desses casos.

Sintomas da SRAG

– Tosse seca e coriza
– Dor muscular, de cabeça e na garganta
– Febre alta e cansaço
– Dificuldade de respirar

Saiba como prevenir

– Lavar regularmente as mãos
– Beber bastante líquido
– Manter a higiene pessoal
– Evitar exposição em locais de aglomerações

Com informações Portal Acrítica


Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
25 × 5 =