Justiça concede prisão domiciliar a Queiroz e esposa foragida

SÃO PAULO | João Otávio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça, concedeu habeas corpus a Fabrício Queiroz e sua prisão preventiva em prisão domiciliar.

Queiroz é acusado de participação em um esquema de “rachadinha” na Assembleia Legislativa do Rio, que seria chefiado pelo filho do presidente, Flávio Bolsonaro.

Conforme O Globo, a decisão se aplica também à esposa de Queiroz, Márcia Aguiar, que continua ainda foragida. O casal será monitorado por tornozeleira eletrônica. No pedido de conversão da prisão preventiva em domiciliar, a defesa apontava o quadro de saúde de Fabrício Queiroz, considerado grupo de risco para a Covid-19.

Ironicamente, a decisão de soltar presos que sejam de grupos de risco do coronavírus foi criticada várias vezes pelo presidente Jair Bolsonaro e seus filhos.

No dia 30 de março, Jair Bolsonaro disse em uma entrevista que, se dependesse dele, ninguém seria solto, “Afinal de contas, estão muito mais protegidos dentro da cadeia, porque nós proibimos as visitas íntimas, proibimos as visitas também nos presídios, de modo que estão bem protegidos lá dentro”, declarou o presidente.

Fabrício Queiroz estava preso desde o dia 18 de junho, quando foi preso durante uma operação policial.