Arqueólogos acham estátua de 8 metros do faraó Ramsés II em favela do Egito

Manaus – Arqueólogos descobriram uma estátua de oito metros feita de quartzito submersa nas águas de uma favela do Cairo. De acordo com os pesquisadores, egípcios e alemães, a peça pode ser uma imagem do faraó Ramsés II, que governou o Egito há mais de 3 mil anos.

A descoberta foi considerada uma das mais importantes da história, segundo o Ministério das Antiguidades.

Os destroços estavam na região de Matariya, a antiga cidade de Heliópolis. O local hoje tem edifícios inacabados e estradas de lama, mas era considerado a casa do Deus Sol pelos antigos egípcios. Nenhum rei podia morar na região, por já abrigar um Deus, e tudo precisava ser construído na área, estátuas, templos, obeliscos, etc.Parte de uma estátua que pode retratar o faraó Ramsés II, que governou o Egito há três mil anos, foi descoberta no Cairo

O templo do Sol em Heliópolis, um dos maiores do Egito, foi fundado por Ramsés II, por isso os arqueólogos acreditam que a grande estátua seja deste faraó.

Segundo os pesquisadores, Ramsés II foi o governante mais poderoso e célebre do antigo Egito, governando de 1.279 até 1213 a.c, e sendo apelidado de Ramsés, O Grande. Os especialistas estão restaurando o material e se comprovarem que é Ramsés II vão colocar a estátua na entrada do Grande Museu Egípcio, que deve abrir em 2018.

A expedição também encontrou a parte superior de uma estátua de pedra calcária do faraó Seti II, neto de Ramsés II, com 80 centímetros de comprimento. Com informações UOL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
36 ⁄ 12 =