Condenado por improbidade administrativa, prefeito de Rio Preto da Eva pode ficar inelegível

Manaus – Condenado pela Justiça Federal no Amazonas por improbidade administrativa, o prefeito municipal de Rio Preto da Eva, Anderson José de Sousa (PROS) que pretende disputar reeleição, pode está inelegível por pelo menos oito anos, com base na lei da Ficha Limpa.

Em 2007, Anderson foi condenado à perda do mandato pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), juntamente com o vice-prefeito Nelson Azevedo dos Santos, por abuso de poder econômico nas eleições de 2004. 

Já em 2017, Anderson voltou a ser condenado a perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos por oito anos.

A decisão foi do juiz federal substituto da 1ª Vara Federal de Manaus, Lincoln Rossi da Silva Viguini que condenou o político juntamente com a Construtora Paricá Ltda por atos de improbidade administrativa e determinou o ressarcimento aos cofres públicos de R$ 2,4 milhões pela obra de construção de um complexo turístico no município de Rio Preto da Eva.

Na época o laudo técnico elaborado pelo órgão de fiscalização e controle da Suframa relatou o total abandono da obra, subtração de material. Devido as condenações, o atual prefeito de Rio Preto da Eva pode estar fora do pleito de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
28 ⁄ 7 =