Conselho Nacional do Ministério Público pune procurador que chamou Bolsonaro de ‘bunda-suja’

Brasília – O Conselho Nacional do Ministério Público decidiu, pela maioria dos conselheiros nesta terça-feira, aplicar a penalidade de suspensão não remunerada, por 30 dias do procurador de Justiça da Bahia Rômulo de Andrade Moreira, acusado de ofender a honra do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

O procurador Moreira teria escrito num blog na internet que Bolsonaro não passava de “bunda-suja, fascista, preconceituoso, desqualificado, homofóbico, racista, misógino, retrógrado, arauto da tortura, adorador de torturadores, amante das ditaduras, subserviente aos militares”.

Pela decisão do Conselho Nacional, o procurador fez ataques pessoais ao então presidente e, por isso, acabou ultrapassando o direito à liberdade de expressão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
14 − 12 =