Empresário tenta dar calote em puteiro e vira refém por 4 dias; assista

Curitiba – Felipe Pedroso Canedo de Oliveira, de 21 anos, Bruna Teixeira Diniz, 23 anos, Ana Claudia dos Santos Valentin, 28 anos, Cristiane de Souza Paiva, 32 anos, Saulo Nunes Guimarães, 37 anos e Catia Alves, 37anos foram presos em flagrante por extorsão e cárcere privado.  Segundo informações da Polícia Civil, os seis são responsáveis por administrar uma casa de prostituição localizada no bairro Sítio Cercado, em Curitiba.

Ainda segunda a polícia, eles teriam mantido um empresário em cárcere privado após ele ter consumido cocaína e bebidas alcoólicas na quinta-feira (16) e sexta-feira (17) da semana passada. O cliente foi impedido de deixar o estabelecimento pois tinha uma dívida de R$ 30 mil.

O cárcere privado durou quatro dias e só terminou após a vítima conseguir usar o celular e pedir ajuda da esposa.

“Desespera a mulher chegou a ir até a boate, mas foi avisa que só entraria no local se pagasse tudo o que marido devia”, explicou o delegado Rinaldo Ivanike, responsável pela investigação. Segundo o delegado, a esposa decidiu procurar a delegacia com medo de que o marido pudesse ser assassinado.

Após a denúncia uma operação de resgate foi montada como o apoio do grupo especial que atua em casos de resgate, sequestro e negociação. “O empresário foi resgatado. Ele estava com uma garota de programa no quarto e três seguranças armados mantinham a porta fechada”, informou o delegado Rinaldo Ivanike.

O grupo foi preso por extorsão, cárcere privado e favorecimento a prostituição, com o agravante de terem mantido a vítima ‘refém’ por um longo período.  

Assista a reportagem do programa Primeiro Impacto Paraná:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
7 × 3 =