Frota pode ser expulso do PSL após criticar Jair Bolsonaro

Brasília – Após ter sido alvo de pedidos de expulsão do PSL por colegas de partido e depois de várias declarações públicas criticando o governo Jair Bolsonaro, o deputado Alexandre Frota (SP) desativou todas os seus perfis nas redes sociais.

Um dos principais cabos eleitorais de Bolsonaro durante a campanha do ano passado, Frota começou a se distanciar do governo após fazer duras críticas ao presidente, seus filhos e seus aliados.

Em entrevista à revista “Época” no mês de julho, o deputado chamou o presidente de “minha pior decepção”, afirmou que o chanceler Ernesto Araújo é “péssimo” e disse que o escritor Olavo de Carvalho, tido como influenciador do governo, “não vale absolutamente nada”.

Dias depois, ele ainda faria críticas à deputada Carla Zambelli e ao senador Major Olímpio, ambos do PSL. Sobre o militar, Frota escreveu no Twitter que ele compunha “uma milícia de ex-PMs” que se instalou na legenda e que sua passagem pelo partido nas eleições de 2018 teria deixado irregularidades.

“Major, até hoje estamos esperando a prestação de contas do PSL-SP antes, durante e depois da eleição. O senhor deixou 43 diretórios com sérios problemas. Estamos na liminar até hoje. Fora a sua milícia de ex-PMs. Em cada lugar que passo tem um coronel que é dono do PSL”, postou, no dia 22 de julho.

Olimpio, então, abriu representação interna contra ele no dia 29 e disse que iria processá-lo por danos morais. Zambelli também apresentou uma ação contra o deputado, pedindo sua expulsão do PSL. “Situação insustentável”, escreveu.

Procurada, a assessoria do parlamentar afirmou nesta segunda-feira (12) que ele desmarcou todas as agendas da semana, confirmou o bloqueio das redes sociais e afirmou que ele não fará declarações nos próximos dias.

(Com informações Jovem Pan)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
20 ⁄ 2 =