Imagens de circuito interno teriam flagrado advogadas tentando entregar dinheiro a preso

Manaus – A secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare, empresa que cogere os presídios do Amazonas, informaram na manhã desta quarta-feira (25), que imagens da rede interna de segurança do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), comprovam a tentativa de três advogadas de entregar dinheiro a um dos presos.

Na ocasião, de acordo com a Seap, um agente de segurança do Estado e um funcionário da empresa de gestão prisional impediram, na tarde de terça-feira (24), que R$ 300 fossem entregues a Josiel Silva de Souza, que cumpre pena por roubo no Compaj.

Quem também se manifestou sobre o caso foi o vice-presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas da OAB-AM, que saiu em defesa das advogada.

“Elas já haviam saído da entrevista com o preso quando foram abordadas pelos agentes as acusando de terem dado dinheiro para o preso. Mas não houve flagrante”, disse Alan Johnny Feitosa.

Na versão da OAB até o preso acusado pelos agentes carcerários de ter recebido o dinheiro das advogadas negou o fato.

As advogadas receberam a autorização para visitar o presídio do juiz Luís Carlos Valolis, da Vara de Execuções Penais (VEP).

O caso foi registrado na 19ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), na Ponta Negra, Zona Oeste, pelos dois profissionais do presídio que estão envolvidos no caso.

Como não houve nenhuma prova que materializasse as acusações, o delegado não realizou nenhum flagrante. As advogadas afirmaram que vão mover uma ação contra o Estado por abuso de autoridade, cárcere privado, constrangimento ilegal e danos morais.

As imagens registradas pelas câmeras do Compaj vão ser entregues às autoridades.

Com informações Em Tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
17 − 8 =