Mãe é condenada a 17 anos de prisão por torturar e matar filho de 5 anos

São Paulo –  A justiça condenou nesta quinta-feira (25) a dona de casa Jane Aparecida Jardim a 17 anos de prisão por torturar e assassinar o próprio filho, em fevereiro de 2015, em Cristais Paulista (SP). Adriano Henrique Jardim Ramos, de 5 anos, morreu na Santa Casa de Franca (SP), um dia após ser espancado, em decorrência de traumatismo craniano.

Acusado de tortura, o padrasto do menino, Thiago Rodrigues, foi condenado a quatro anos de reclusão. Segundo o Ministério Público, ambos agrediam com frequência o garoto. Em certa ocasião, Rodrigues chegou a obrigar o enteado a ingerir as fezes e o próprio vômito como forma de castigo.

O advogado Braz Porfírio Siqueira, que defende Rodrigues, disse que não vai recorrer porque a sentença imposta permite que o cliente cumpra a pena em liberdade.

Jane estava presa desde a data do crime. Já Rodrigues respondia ao processo em liberdade. Inicialmente, a mãe disse à Polícia Civil que agrediu o filho porque ele havia defecado na cama. Depois, revelou que não tinha afeto pelo menino e que usou um cabo de vassoura, além de cinto e chinelos, para bater nele por cerca de cinco horas.

Sentença

Realizado no Fórum de Franca, o julgamento teve início por volta de 9h com o sorteio do corpo de jurados, que acabou sendo formado por quatro homens e três mulheres. O primeiro a falar perante o juiz José Rodrigues Arimatéia foi um investigador de polícia.

Na sequência, prestaram depoimento duas testemunhas que moravam na fazenda onde a família morava, na zona rural de Cristais Paulista. Em seguida, os réus contaram suas versões do crime. Por fim, a Promotoria e a defesa apresentaram suas teses.

O júri considerou Jane culpada pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e tortura. Ela deverá ficar presa por 17 anos, oito meses e 20 dias e não poderá recorrer em liberdade. Rodrigues foi considerado culpado por torturar o enteado e foi condenado a quatro anos e oito meses de reclusão, mas poderá recorrer em liberdade.

O padrasto do menino, Thiago Rodrigues, foi condenado a quatro anos e oito meses de prisão (Foto: Reprodução/EPTV)
O padrasto do menino, Thiago Rodrigues, foi condenado a quatro anos e oito meses de prisão (Foto: Reprodução/EPTV)

O crime

Jane Aparecida Jardim foi presa em 26 de fevereiro de 2015 por suspeita de espancar o filho Adriano Henrique Jardim Ramos, de 5 anos. À Polícia Civil, a mulher confessou que agrediu o menino com um cinto, depois pegou o garoto pelo pescoço e pelos braços e o jogou na cama.

Jane usou um cabo de vassoura, cinto e chinelos para agredir o filho por cerca de 5 horas (Foto: Reprodução/EPTV)
Jane usou um cabo de vassoura, cinto e chinelos para agredir o filho por cerca de 5 horas (Foto: Reprodução/EPTV)

Nesse momento, a criança bateu a cabeça na lateral de um móvel. A mãe só decidiu pedir ajuda aos vizinhos horas depois, quando percebeu que o filho não acordava. Adriano foi levado ao Pronto-Socorro de Cristais Paulista e transferido à Santa Casa de Franca.

A assessoria do hospital informou, na época, que o garoto foi atendido com traumatismo craniano e levado à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave. A Santa Casa também comunicou a Polícia Civil, que iniciou a investigação do caso.

Jane foi presa e levada à cadeia de Franca, mas acabou sendo ameaçada de morte e precisou ser transferida para a Penitenciária de Tremembé (SP). Adriano não resistiu aos ferimentos e a morte cerebral foi confirmada na noite de 27 de fevereiro. Com informações G1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
18 ⁄ 3 =