Marina diz que a responsável por todo retrocesso que irá acontecer no governo Temer será Dilma

Brasília – Na véspera da votação do processo de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, Marina Silva (Rede), em visita neste domingo (28) ao Recife, afirmou que quem criou Temer foi Dilma e que todos os atrasos que vierem a acontecer, principalmente, no campo social, ambiental e trabalhista serão culpa da petista.

“Quem colocou o Temer na linha sucessória foi a Dilma. Ela é a responsável por tudo que vai acontecer daqui pra frente”, acusou, afirmando que os dois são “faces diferentes da mesma moeda.” A ex-senadora, que em 2014 ficou em terceiro lugar na corrida presidencial e não foi ao segundo turno com Dilma e Aécio Neves (PSDB-MG), pontuou que o que está acontecendo agora ela já havia anunciado. “O cenário atual já é precário desde 2014.

Nós apresentamos um programa na campanha que apontava esse colapso e diziam que nós éramos pessimistas, mas não era. Esse grupo quis se manter no poder a qualquer custo”, acusou. Sobre o aumento dos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que deve ser votado no Senado, ela se disse contra e acusou o “desgoverno” do presidente Temer.

“O governo dá sinal trocado em várias situações. Disse, por exemplo, que ia diminuir o programa da máquina e aprovou a entrada de mais servidores públicos. Você não pode privilegiar classes isoladamente com o objetivo de amealhar base de sustentação”, colocou. Nem a equipe econômica atual, tida como dos “sonhos” inclusive pelo ex-presidente Lula (PT), para ela escapa de críticas. “Quem tá governando o país é a equipe econômica. O presidente Temer é um hospedeiro da equipe econômica. Eu acho que a equipe econômica é muito eficiente para a economia do século 20, mas não para o momento atual”, colocou.

O destino visto por ela, com esse grupo liderado pelo atual ministro da Fazenda, Henrique Meireles, é de que “vamos continuar sendo o país das commodities, nós vamos continuar sendo o país que só pensa em fazer grandes barragens, nós favos continuar usando o BNDES para poucos grupos”.

Sobre a operação Turbulência e a citação pelo MPF dos nomes do ex-governador Eduardo Campos (PSB) e do senador Fernando Bezerra Coelho(PSB), que teriam recebido propina para o financiamento de campanha, ela disse que é preciso maior aprofundamento das investigações. “A gente precisa confiar no trabalho da Justiça. Ninguém está acima da Lei, nem Lula, nem Aécio, nem Marina.

Infelizmente, Eduardo Campos não está aqui para se defender. Eu repito, quem não deve não teme. Eu apoio integralmente o trabalho que está sendo feito pela polícia”, concluiu. Perguntada, ela disse não conhecer os donos do avião que caiu com o ex-governador. Na Capital pernambucana, Marina participou ainda de atos ao lado do atual prefeito e candidato à reeleição, Geraldo Julio (PSB), com quem gravou imagem para o guia, em Olinda com o candidato Antônio Campos (PSB) e encontros com candidatos a vereador da Rede. À tarde, ela proferiu uma palestra sobre sustentabilidade no Porto Social.

Além de ir à cidades do interior onde o partido dela tem candidatos a prefeitos e vice-prefeitos. Ela segue em agenda por Pernambuco, em visitas pelo interior, nesta segunda (29).

Com informações Blog de Jamildo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
19 − 4 =