Militar guarda quase R$ 300 mil por 30 anos e cria biblioteca pública

São Paulo – Um coronel reformado do Exército Brasileiro economizou quase R$ 300 mil durante 30 anos para construir uma biblioteca em Campo Grande. O desejo surgiu em 1970 quando ele iniciava a carreira militar e resolveu fazer uma poupança. A esposa escolheu o terreno no bairro Bandeirantes, onde o sonho virou realidade nesta sexta-feira (5).

O coronel Rubem de Sá Padilha, de 78 anos, apaixonou-se pela leitura na infância após ser influenciado pelo pai, com o mesmo nome, Rubem Menezes Padilha. Ele colecionou 2,1 mil livros lidos ao longo da vida. Agora, a coleção se tornará pública na biblioteca que ele planejou.

O espaço reúne vários clássicos da literatura inglesa, francesa e brasileira. A biblioteca contará inicialmente com um acervo de aproximadamente 3.000 itens ao todo, entre o acervo bibliográfico (livros, documentos pessoais e oficiais), iconográficos, cartográficos e audiovisuais.

Em uma espécie de museu, dentro da biblioteca, estão objetos históricos e fotos da 1ª guerra mundial. Também estão expostos objetos como uma espada e documentos assinados por personagens da história do Brasil.

As crianças do bairro ficaram entusiasmadas com a ideia de ter um canto de estudos e pesquisas perto de casa. Para tornar o sonho realidade, o militar gastou ao todo quase R$ 500 mil. O valor começou a ser investido a partir de 2010 e a biblioteca ficou pronta seis anos depois.

A biblioteca recebeu o nome de Centro de Estudo de Fronteira General Padilha, em homenagem ao pai dele, e foi inaugurada na manhã desta sexta-feira.

Sabendo a necessidade da biblioteca ser supervisionada, o coronel Padilha, como também é chamado, decidiu doá-la ao Exército Brasileiro, que vai administrá-la através do Comando Militar do Oeste (CMO), em parceria com a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Com informações G1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
25 + 7 =