Morre ex-governador de Minas Gerais, Hélio Garcia

São Paulo – Ele foi prefeito de Belo Horizonte (1983-1984) e governador em dois mandatos: de 1984 a 1987 e de 1991 a 1994

Morre o ex-governador  de Minas Gerais , Hélio Garcia aos 85 , na manhã desta segunda-feira (6). Ele teria sido internado  em um hospital da Unimed , em Belo Horizonte , mas a informação até então não foi confirmada.

Em nota o governador Fernando Pimentel lamentou a morte :

“Foi com profundo pesar que recebi a notícia do falecimento do ex-governador Hélio Garcia. Homem público com uma trajetória de inestimáveis serviços prestados ao Estado e ao país, Hélio Garcia era uma das mais importantes referências da política mineira. Minas perde uma liderança que sempre se pautou pela sensatez, serenidade e espírito democrático.

Aos familiares, manifesto minha sincera e afetuosa solidariedade neste momento.”

O deputado estadual Iran Barbosa (PMDB) escreveu em sua conta do Twitter: “Que tristeza saber que acabou de falecer um dos maiores ídolos políticos meus. Vai com Deus Helio Garcia! Fez muito por Minas.”

Castellar Neto, presidente da Federação Mineira de Futebol, usou sua conta na mesma rede social para falar: “Maior político mineiro dos últimos anos.”

Saulo Carvalho, diretor geral da Câmara Municipal de Belo Horizonte, também usou a internete: “Foi-se o Dr. Hélio de Carvalho Garcia. Grande homem público. Um dos maiores da sua geração. Minas Gerais de luto. #RIP Hélio Garcia”

Histórico

Nascido em Santo Antônio do Amparo (MG) em 16 de março de 1931,Hélio de Carvalho Garcia, ele formou-se em direito pela UFMG  em 1957 e aos 32 anos elegeu-se deputado estadual, logo mais foi deputado estadual entre 1967e 1971, vice governador na chapa de Tancredo Neves entre 1983 e 1988. Ele também foi prefeito no período de 1983 e 1984, e também governador  em meados de 1984 a 1987 e de 1991 a 1994.

 

Em 1998, Garcia tentou uma vaga no Senado, mas desistiu no início da campanha e abandonou a carreira política.

Além de política, Hélio Garcia era fazendeiro: refugiou-se várias vezes, entre um mandato e outro, em sua propriedade em Santo Antônio do Amparo, a fazenda Santa Clara.

A partir de 2004, Garcia começou a apresentar problemas de saúde, como má circulação que ocasionava dores nas pernas e dificuldades de locomoção, inflamação dos pulmões e lapsos de consciência. Esses e outros problemas se agravaram nos últimos anos. Ele morreu nesta segunda-feira, 6 de junho, no Hospital da Unimed.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
26 − 2 =