Nana Caymmi defende Bolsonaro e critica Chico, Gil e Caetano: ‘Tudo chupador de p* do Lula’

São Paulo – A veterana Nana Caymmi disparou acusações a vários artistas que agem contra Bolsonaro, nesta quinta-feira (28). Em entrevista concedida ao jornal Folha de S. Paulo, a cantora defendeu Jair Bolsonaro e atacou Chico Buarque, Gilberto Gil e Caetano Veloso.

A veterana admitiu ter votado no então candidato à presidência da república no segundo turno das eleições de 2018 e pediu apoio ao presidente eleito.

“É injusto não dar a esse homem um crédito de confiança. Um homem que estava fodido, esfaqueado, correndo pra fazer um ministério, sem noção da mutreta toda… Só de tirar PMDB e PT já é uma garantia de que a vida vai melhorar”, declarou ao jornal.

Além disso, Nana também atacou os cantores: “Agora vêm dizer que os militares vão tomar conta? Isso é conversa de comunista. Gil, Caetano, Chico Buarque. Tudo chupador de pau de Lula. Então, vão pro Paraná fazer companhia a ele. Eu não me importo”, acrescentou.

Por fim, mostrando algum rancor pessoal, Caymmi escolheu Gil, com quem já foi casada, para disparar críticas: “Gil é maluco, adora aparecer. Se pudesse, dormia no palco. E ele tá cansado. Chega, está cantando há séculos e aos gritos. Eu falei: ‘Gil, não grita’, ‘Gil, não grita’. Mas conselho não se dá. Por que Caetano tem a voz que tem, a mesma desde que nasceu entre as pernas de dona Canô? Não há possibilidade de ele dar um grito. Só dá grito quando ele tá furioso com a Paula (Lavigne) ou se é pra falar de jornalista”.

A postura da veterana foi tão comentada pelos fãs que seu nome foi parar nos Trending Topics do Twitter. 

A cantora Alice Caymmi, criticada pela tia Nana Caymmi na em entrevista, fez um desabafo em seu perfil no Facebook sobre as críticas que recebeu da tia.

Na entrevista, Nana diz que a sobrinha tem uma ótima voz, mas fala dela com um pouco de tristeza. “Eu tinha muita esperança de que ela fosse paro o meu caminho. Achei que Alice ia dar mel, mas não deu”, disse.

Em seu post, Alice lembra que sempre foi questionada o que significava ser da família Caymmi e se havia um peso nisso.

“Cantar não é nem nunca foi um peso pra mim, cantar me liberta. Porém a que custo consegui chegar até aqui? A custo de muita rejeição e por vezes violência, violência essa que perdura e se estende até a quem não tem nada a ver com isso. Nunca pedi aprovação de ninguém, nunca pedi ajuda, nunca pedi um real, mas decido exigir respeito”, escreveu. ” Não concordo em nenhuma instância com o que pessoas que compartilham meu sangue pensam e fazem.”

A cantora diz ainda que, a partir de agora, decidiu exigir respeito e “não esconder o que tanto a machucou”. Ela acrescenta que os problemas que aponta, sem dizer exatamente quais seria, não se estendem a seu pai, Danilo Caymmi, e sua mãe.

“Quem conheceu Dorival, sabe a neta que sou e que sempre fui. ‘Kawô Cabiecilê'”, conclui, usando a saudação do candomblé a Xangô.

(Com informações da Folhapress)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
10 ⁄ 5 =