Pai espanca filhos de 11 e 3 anos de idade com terçado

Manaus – Meu pai bebe e quando chega em casa bate em mim com esse terçado e com o cano. Ele também usa o martelo para bater na minha mão”. Este é o relato de uma criança de 11 anos, ao ser questionada sobre o tratamento que recebe em casa.

Após denúncias feitas na terça-feira à reportagem e ao Conselho Tutelar da zona Oeste, sobre maus tratos, abandono de lar e violência doméstica tendo como vítimas duas crianças, sendo uma de 11 e outra de três anos de idade, no bairro Compensa, na zona Oeste, o conselheiro tutelar Nilson Matos, 38, visitou a residência das vítimas ontem.

Ele constatou a veracidade das denúncias, notificou o pai das crianças a comparecer na próxima semana à sede do Conselho, afim de falar sobre a situação de risco a qual tem submetido as vítimas. “No local vimos e ouvimos uma triste realidade”, falou.

Segundo as denúncias, o homem, que não terá a identidade divulgada para preservar a identidade das vítimas, teria o costume de sair de casa para beber e deixar os filhos menores sozinhos. “Ao chegarmos ao local, o homem não estava na residência e as crianças estavam dentro de casa, dormindo. Fomos recebidos pela avó paterna das vítimas, que confirmou as condições a que os netos eram submetidos”, disse o conselheiro.

“Não vou mentir. Meu filho sempre sai para a rua para beber. Ele está desempregado e passa o dia por ai, bebendo. As crianças ficam aqui sozinhas e quando estou em casa, cuido delas. O mais velho estuda, mas o mais novo passa o dia em casa, muitas vezes sozinho”, disse a senhora, que também não terá o nome divulgado.

A casa onde moram tem péssimas condições de higiene e aparentemente não existe alimentação para as crianças no local. “Quando entrei na casa vi que a situação é bem crítica. O banheiro é sujo, assim como o local onde eles dormem. A cozinha está vazia e as crianças apanham do pai”, disse o conselheiro Nilson.

Na ocasião foi entregue uma notificação no local, intimando  o pai das crianças a comparecer no conselho a fim de prestar esclarecimento sobre as condições que os filhos vivem. “Além disso iremos encaminhar a denúncia à Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) e ao Juizado da Infância”.

Polícia será informada para ajudar no caso
As crianças vivem sob a responsabilidade do pai desde que o homem se separou da mãe, em dezembro do ano passado. Ao todo o casal tem quatro filhos, de três, 11, 13 e 16 anos. No início todos ficaram com o homem, porém, no início deste ano os dois mais velhos saíram de casa, por não tolerarem mais apanhar. Uma familiar das crianças disse à reportagem que os meninos só se alimentam porque o maior sempre desce para casa da avó e pede comida.

O caso deverá ser encaminhado ainda esta semana à Depca. Segundo a delegada titular em exercício, Ana Cristina Braga, ao receber a denúncia um inquérito policial deverá ser instaurado e as crianças deverão passar por atendimento psicossocial. “Precisamos receber a denúncia para saber de quais crimes estamos falando. No entanto, não iremos medir esforços e caso seja necessário”.

Com informações Acrítica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
28 ⁄ 14 =