Qualquer cachorro pode virar uma arma se estiver nas mãos de pessoas erradas

Rio –  Poucos cães conseguem despertar reações tão distintas nos humanos como os pitbulls.

Há pessoas que odeiam ou têm receio desses cachorros. De outro lado, os apaixonados.Mas, naturalmente, os pitbulls não são agressivos com pessoas ou com outros animais. No entanto, eles têm um potencial grande de machucar,devido à força física e ao tamanho.Por isso, é importante que sejam bem controlados e educados, especialmente, se começarem a demonstrar algum tipo de agressividade.

O american pit bull terrier, popularmente conhecido como pitbull, é uma raça modificada geneticamente para produzir cães mais ágeis e resistentes.É fruto do cruzamento das raças bulldog e terrier. Segundo o médico veterinário Luiz Antônio Scotti, especialista em comportamento animal, membro da comissão de ética e bem-estar do Conselho Regional de Medicina Veterinária e diretor genealógico do Kennel Clube do Rio Grande do Sul, qualquer cachorro pode virar uma arma se estiver nas mãos de pessoas erradas:

– Dependendo do treinamento que receber, o cão pode se tornar extremamente agressivo. O pitbull não tem como característica a violência.

A raça foi criada para auxiliar na caça, trabalhar com animais no campo e ser cão de companhia. O pitbull não é a melhor opção para quem procura cães de guarda, por exemplo,e sempre deve ser socializado ou treinado da maneira correta. Muitos donos gostam de valorizar a hostilidade do pitbull, forçando um temperamento violento. Mas nem sempre são responsabilizados pelo mau comportamento do cachorro.

– Incentivar a agressividade, deixar o animal sem comida, dar choques e pauladas ou fazer treinamentos no estilo militar, sem estar apto, pode gerar consequências graves para o cão e para a família – diz Scotti. Cães brabos não devem ser levados à rua antes de serem socializados ou treinados por profissional:

– Em qualquer caso, é indispensável o uso de coleira na rua. Mesmo sendo dócil e tranquilo, a segurança e o respeito às pessoas devem ser garantidos. No caso do pitbull, o uso de focinheira é essencial – afirma

CUIDADOS DESDE CEDO

– Coloque o cão desde pequeno em contato com outros animais e com pessoas. É importante o convívio com a família
– É necessário que o cachorro ganhe carinho dos donos e de estranhos
– Sempre que ele apresentar comportamento agressivo, repreenda-o
– Não deixe qualquer pessoa treinar seuanimal. Procure um especialistal Evite mantê-lo sempre amarrado em um pequeno espaço. Cães criados emcorrentes ficam mais agressivos e não sabem se comportar
– Faça caminhadas diárias. Todos os animais, principalmente os de porte grande, devem caminhar, correr e exercitar-se
– Ao chegar em casa, principalmente, à noite, se o cachorro estiver solto, e antes de entrar no pátio, chame-o pelo nome e permita que ele sinta o seu cheiro
– Nunca se esqueça: treinar cachorros para brigas é crime
– Não abandone um cão na rua, nem o coloque para adoção, caso ele seja agressivo. Se fizer isso, você estará transferindo o problema para outra pessoa e prejudicando ainda mais o animal. Antes de qualquer decisão, procure a orientação de um profissional

NA HORA DE COMPRAR OU ADOTAR

– É possível ter um pitbull em casa, desde que ele seja socializado
– Não é aconselhável que conviva diretamente com crianças porque elas podem machucar o cão numa brincadeira, e ele revidar. Entretanto, independentemente da raça, crianças não devem ficar sozinhas com nenhum animal
– Se optar por adoção, procure ONGs de confiança e que possam dar informações sobre o temperamento do bichinho
– Se decidir comprar um filhote, busque criadores cadastrados no Kennel Clube, que possuem mais conhecimento sobre cães da raça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
27 − 14 =